• Menu
    • Quem Somos
    • Ensino
    • Aconteceu
    • Para Refletir
    • Localização
    • Contato
    • Área Reservada

Para Refletir

“O mundo visto pelos olhos de crianças”

Postado por: Junior Yapondjian em: 26/11/2015

Olhar o mundo como se fosse a primeira vez, o estranhamento diante do novo e o não julgamento nos permitem apreciar a simplicidade da vida sem nos contaminar com velhos paradigmas criados por nossa mente adulta. Esse olhar inocente sobre o mundo foi o que motivou um educador a publicar uma compilação de verbetes definidos por crianças colombianas.



Javier Naranjo, professor colombiano, é o autor do livro “Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças”, livro publicado primeiramente em 1999 e reeditado em 2005 e 2009. O livro contém um dicionário com cerca de 500 definições para 133 palavras, de A a Z, muito presentes no dia-a-dia colombiano, como guerra, violência, paz e é o resultado de um trabalho desenvolvido ao longo de dez anos, em que o professor coletou definições dadas por seus alunos.



A ideia surgiu quando, em uma comemoração do Dia das Crianças, Naranjo perguntou a seus alunos como eles definiriam a palavra criança. “Me lembro de uma definição que era: ‘uma criança é um amigo que tem o cabelo curtinho, não toma rum e vai dormir mais cedo’. Eu adorei, me pareceu perfeita”, disse Javier em entrevista a BBC Mundo.



Segundo o professor, as crianças têm uma maneira muito peculiar de ver o mundo e, a partir de uma lógica diferente, revelar coisas que os adultos já se esqueceram. Assim definições encantadoras foram surgindo da cabeça de crianças de diferentes escolas do Estado de Antioquía, região rural do sudeste da Colômbia. Naranjo preservou a voz das crianças nas definições, corrigindo apenas a pontuação e ortografia, sem alterar ou tirar palavra alguma.



A seguir estão alguns verbetes:



Adulto: Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma (Andrés Felipe Bedoya, 8 anos)



Ancião: É um homem que fica sentado o dia todo (Maryluz Arbeláez, 9 anos)



Água: Transparência que se pode tomar (Tatiana Ramírez, 7 anos)



Branco: O branco é uma cor que não pinta (Jonathan Ramírez, 11 anos)



Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos (Luis Alberto Ortiz, 8 anos)



Céu: De onde sai o dia (Duván Arnulfo Arango, 8 anos)



Colômbia: É uma partida de futebol (Diego Giraldo, 8 anos)



Dinheiro: Coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos (Ana María Noreña, 12 anos)



Deus: É o amor com cabelo grande e poderes (Ana Milena Hurtado, 5 anos)



Escuridão: É como o frescor da noite (Ana Cristina Henao, 8 anos)



Guerra:Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz (Juan Carlos Mejía, 11 anos)



Inveja: Atirar pedras nos amigos (Alejandro Tobón, 7 anos)



Igreja: Onde a pessoa vai perdoar Deus (Natalia Bueno, 7 anos)



Lua: É o que nos dá a noite (Leidy Johanna García, 8 anos)



Mãe: Mãe entende e depois vai dormir (Juan Alzate, 6 anos)



Paz: Quando a pessoa se perdoa (Juan Camilo Hurtado, 8 anos)



Sexo: É uma pessoa que se beija em cima da outra (Luisa Pates, 8 anos)



Solidão: Tristeza que dá na pessoa às vezes (Iván Darío López, 10 anos)



Tempo: Coisa que passa para lembrar (Jorge Armando, 8 anos)



Universo: Casa das estrelas (Carlos Gómez, 12 anos)



Violência: Parte ruim da paz (Sara Martínez, 7 anos)







Ler as definições do ponto de vista das crianças nos leva a refletir e perceber como é importante manter a simplicidade e enxergar o mundo como quem o vê pela primeira vez: livre de julgamentos. Ótima pedida para adultos e crianças… fica dica!



Por Tânia Yuri Moreira

fontes consultadas: https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/dicionario-feito-por-criancas-revela-a-adultos-um-mundo-que-ja-esqueceram/

“O mundo visto pelos olhos de crianças”